Subscribe Now

Trending News

29 Set 2020

O Festival Periferias tem sequela aqui. Descobre como!
Newsflash

O Festival Periferias tem sequela aqui. Descobre como! 

Na reta final de um festival seguro e a superar as expectativas, o Festival de Cinema Periferias de Marvão e Valencia de Alcántara, surge uma boa nova: a sessão das curtas chinesas pode ser vista pelos seguidores do cinetendinha.pt. Haverá senhas para as visionar grátis na Filmin aos primeiros que desejarem – basta enviar um email para rui.tendinha@gmail.com e dizer Eu quero curtas da Temática Sexualidade e Género.

As curtas apenas estarão disponíveis até dia 20 deste mês.

Eis o cardápio.

Mostra de curtas chinesas – Temática “Sexualidade e Género”em Parceria com os festivais Critica e ShanghaiPRIDE
Tang Long, de Jiang Tian Zong
Ruins, de He Yi
Wo Ai Ni Mama (I Love You Mama), de Maya Peters
We Outlaws, de Kaixuan Wang
Eyes, de Naixin Xu

Tang Long, de Jiangtian Zong
China, 2019, 14’ | Seleção Festival Critica
Tang Long é uma curta-metragem documental que acompanha o dia-a-dia de um casal do mesmo sexo, Tang Long e o seu companheiro, no Verão de 2018, nos subúrbios de Xangai. Em Tang Long, a realizadora Jingtian Zong procura compreender a perspetiva de um homem gay de 40 anos, através do seu quotidiano e da sua história de vida. Ao mesmo tempo que Tang Long partilha o seu presente, também revisita o seu passado.
Jingtian Zong estudou Interactive Media Arts, na New York University Shanghai, onde desenvolve o seu trabalho como Investigadora Associada. A sua investigação incide sobre cinema, estudos Chineses globais, arte pública e novos media.

Ruins, de He Yi  | China, 2018, 9’  | Sel. Festival Critica
Xiaobei regressa 
à sua aldeia natal, para finalizar um processo de justiça restaurativa, 10 anos depois de um episódio que Xiaobei prefere não recordar. O reencontro com o perpetrador faz com que Xiaobei confronte a verdade dessa memória.
He Yi trabalhou vários anos em realização publicitária. Em 2019, viu o “Call for Submissions” para o Festival Critica, e decidiu participar, com o objetivo de trazer visibilidade, através de uma curta-metragem, para a questão da violência sexual sobre mulheres.

Wo Ai Ni Mama (I Love You Mama), de Maya Peters
China, 2019, 5’ | Sel. Festival Critica
Maya Peters é uma realizadora Irlandesa com raízes na Indonésia a residir na China. Em “Wo Ai Ni Mama”, uma adolescente escreve uma carta à mãe, abrindo um caminho para a aceitação da sua orientação sexual.

We Outlaws, de Kaixuan Wang | China, 2018, 34’
Sel. Shanghai PRIDE
De 1979 até 1997, a “indecência” era um crime, no código penal Chinês. Durante esse período, as pessoas Trans fizeram parte de uma comunidade severamente perseguida e punida.
No filme “We Outlaws”, no início dos anos 90, Chen Shi aparenta ser um operário comum numa fábrica de têxteis. Mas durante a noite, explora e expressa a sua identidade de género, desafiando e recusando a denominada “indecência”.
Kaixuan Wang é um realizador Chinês que almeja contar a história da comunidade LGBTQ+ através da câmara. “Conheço pessoas que não imaginam o que lhes podia acontecer há 30 anos atrás. Por isso, fiz este filme, para contar-lhes.”

Eyes, de Naixin Xu | China, 2018, 5’
Sel. Shanghai PRIDE
Naixin Xu é uma fotógrafa e cineasta nascida em 1993. Estudou Fotografia, Vídeo e Media na Escola de Artes Visuais de Nova Iorque. O trabalho de Naixin Xu utiliza a fotografia e o cinema documental para representar autenticidade, explorando os entre-espaços das lutas individuais em conflitos invisíveis.
Na curta-metragem “Eyes”, Naixin Xu expõe os entre-caminhos das lutas da comunidade LGBTQ+ Chinesa.

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *